Município de Santarém contrai empréstimo de 15 milhões de euros para pagar antigo quartel

0 148

O município de Santarém vai contrair um empréstimo de 15 milhões de euros, a 20 anos, para pagar a antiga Escola Prática de Cavalaria (EPC) à Estamo, sociedade gestora de participações imobiliárias do Estado, pondo fim à tentativa de negociar o valor acordado em 2008. O presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves, considera que a situação não se podia “eternizar” face à “inflexibilidade” da Estamo.

“Continuo a dizer que lamento que nunca ninguém me tenha feito chegar a avaliação” que esteve na base do valor acordado pelo executivo de então, liderado por Francisco Moita Flores (PSD), e o Governo de José Sócrates (PS), na ordem dos 16 milhões de euros.

“Não podemos eternizar. Sempre disse que ia tentar negociar até ao máximo [por entender que, na altura], se podia ter feito melhor negócio”, acrescentou. Ricardo Gonçalves lembrou, contudo, que inicialmente, o conjunto de imóveis a ceder pela Estamo a Santarém entrou no processo de contrapartidas negociadas com o município pela não construção do novo aeroporto na Ota.

Para o autarca, não há dúvida de que o valor estabelecido teve a ver com as tentativas do então primeiro-ministro José Sócrates e do seu ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, para baixar o défice do país. “Acho que fomos vítimas disso, mas tínhamos que dar um passo em frente e resolver todas as situações que temos com a Estamo. Estão nas nossas contas e não podemos estar a eternizar”, declarou, acrescentando que começava a ser difícil explicar o prazo médio de pagamentos do município, que se situa, de facto, nos 15 a 20 dias, mas que as faturas da Estamo elevam para os cerca de 200 dias.

Fonte: Lusa

Todas as quintas-feiras, receba uma seleção das nossas notícias no seu e-mail. Inscreva-se na nossa newsletter, é gratuita!
Pode cancelar a sua subscrição a qualquer momento

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.