NERSANT toma posição sobre o caso da Fabrióleo

A NERSANT lamenta a posição assumida pela Câmara Municipal de Torres Novas no processo de vistoria conduzida pelo IAPMEI à empresa Fabrióleo e que levou à decisão de encerramento desta unidade fabril do concelho de Torres Novas, que emprega 80 trabalhadores.

1 270

A NERSANT, Associação Empresarial da Região de Santarém, toma posição sobre o caso da Fabrióleo, que recebeu ordem para encerrar, devido a problemas de poluição de que tem sido acusada.

A NERSANT torna público, em comunicado, que “lamenta a posição assumida pela Câmara Municipal de Torres Novas no processo de vistoria conduzida pelo IAPMEI à empresa Fabrióleo e que levou à decisão de encerramento desta unidade fabril do concelho de Torres Novas, que emprega 80 trabalhadores.

A NERSANT lamenta que a Câmara Municipal de Torres Novas tenha optado por assumir uma atitude parcial, durante todo o processo, ao invés de mostrar uma postura construtiva e de diálogo para que fossem encontradas soluções que permitissem a viabilidade da empresa e a defesa dos postos de trabalho e que, ao mesmo tempo, garantissem o respeito pelo meio-ambiente e o cumprimento de todas as regras e obrigações ambientais.

A NERSANT não compreende que a autarquia de Torres Novas, escolha prejudicar e pedir o encerramento de empresas em vez de seguir o exemplo dos seus congéneres, como foi o caso recente da poluição no Tejo, trabalhando com os empresários e as instituições envolvidas em soluções que permitam o equilíbrio e o crescimento do seu concelho.

A NERSANT tem acompanhado os esforços realizados pela Fabrióleo na melhoria dos seus processos produtivos, para garantir que a sua atividade gera o menor impacto no meio ambiente.

A NERSANT tem conhecimento da disponibilidade que a empresa já manifestou em comparticipar financeiramente na construção de um coletor municipal na zona das ribeiras da Boa Água e Serradinho, o qual viria não só a sanar todos os maus cheiros de todos os agentes que enviam os seus afluentes para a referida ribeira, assim como a permitir a ligação de toda a malha urbana hoje ligada a fossas sépticas.

De igual forma, a NERSANT está ao corrente do trabalho que está a ser desenvolvido pelos investigadores do departamento de Ambiente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova no que diz respeito à melhoria dos processos produtivos da Fabrióleo e à identificação das fontes poluentes da Ribeira da Boa Água, tendo já sido identificadas mais de 50 fontes poluentes.

A Câmara Municipal de Torres Novas tinha conhecimento que, ao propor à Assembleia Municipal o indeferimento da Declaração de Interesse Municipal, inviabilizaria a legalização das obras de interesse social e ambiental efetuadas pela Fabrióleo.

Perante estes factos, a NERSANT informa que prestará todo o apoio à empresa no seu processo de defesa, à luz dos princípios que regem um Estado de Direito.

A NERSANT informa ainda que, neste contexto, não se identifica com a atuação da Câmara Municipal de Torres Novas, particularmente neste processo, e se reservará ao direito de apoiar esta ou outra qualquer empresa, que manifeste disponibilidade e compromisso para cumprir e evoluir na obediência das regras ambientais e com a legislação do seu setor.

NERSANT aceitar nem pactuar com decisões que se revelem persecutórias por parte da Câmara de Torres Novas, relativamente a esta ou outra qualquer empresa instalada neste concelho”.

Todas as quintas-feiras, receba uma seleção das nossas notícias no seu e-mail. Inscreva-se na nossa newsletter, é gratuita!
Pode cancelar a sua subscrição a qualquer momento
Pode Ser do seu interesse

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.