“Tancos: Terminal 3 de Lisboa” vai a debate em Tomar

Iniciativa do PSD

2 1.469

A Comissão Política Distrital do PSD de Santarém e a Comissão Política de Secção de Tomar realizam um debate subordinado ao tema: “Tancos, Terminal 3 de Lisboa”, que terá lugar no dia próximo dia 9 de março, pelas 14h30, no Complexo Cultural da Levada em Tomar.

Segundo as referidas estruturas partidárias, este debate é oportuno, numa altura em que se aguarda pelo resultado do estudo de impacto ambiental que poderá inviabilizar a opção da base militar do Montijo como aeroporto civil, a Comissão Politica Distrital de Santarém do PSD apresenta, novamente, a utilização da base aérea de Tancos como futuro aeroporto civil complementar, por se tratar da solução imediata mais viável e de um meio de coesão do território e de valorização do interior.

Este debate contará com a presença dos seguintes oradores: João Moura, Presidente do PSD
Distrital de Santarém; João Roque, Piloto de Linha Aérea; José Vizela Cardoso, Tenente-General da Força Aérea Portuguesa, e Carla Graça, Vice-Presidente da Associação Zero.

eee
João Moura
tttt
João Roque

 

 

 

 

 

 

uuuu
Vizela Cardoso
yyyy
Carla Graça

 

 

 

 

Todas as quintas-feiras, receba uma seleção das nossas notícias no seu e-mail. Inscreva-se na nossa newsletter, é gratuita!
Pode cancelar a sua subscrição a qualquer momento
Pode Ser do seu interesse
2 Comentários
  1. Manuel Ferreira Fernandes Diz

    Estes ainda andam em busca de um Plano B. Por aqui se vê a quem tem andado o país entregue e porque não sai da cauda do pelotão. Tancos ou Montreal podem ser alternativas a considerar para um Aeroporto Regional da Zona Centro. Pois, só a Zona Centro e o Alentejo não dispõem desta Infraestrutura. As Regiões Norte, Lisboa e Vale do Tejo, Algarve, Madeira e Açores, têm Aeroportos. Só as Regiões Centro e Alentejo carecem dessa Infraestrutura que poderá ser colmatada com a conversão de Bases Aéreas desactivadas.

  2. Joao Diz

    Bases militares de Tancos e Monte Real não são propostas de alternativa realmente viáveis, porque Tancos está praticamente todo o ano com actividades aéreas de para-quedismo militar, e a base de Monte Real é uma base militar NATO onde se concentra a estrutura principal de defesa do país. Nenhuma das estruturas está abandonada, aquilo está a ser realmente utilizado.

    Além do mais ambas as infra-estruturas estão em localizações potencialmente problemáticas, a de Tancos está ali muito próximo do Rio Tejo por tanto apesar da probabilidade de inundação não ser muito elevada, a probabilidade de ali chegar um tsunami não pode ser descartado, e a mesma possibilidade para a base de Monte Real que ainda está suficientemente próximo do Oceano Atlântico para se descartar tal possibilidade.

    E que tal deixarem de pensarem nas bases militares para meter um aeroporto e fazerem realmente uma estrutura para isso.

    Talvez ali algures a Este de Tomar, construir um aeroporto com ligação à A13 e fazer um ramal da linha ferroviária de (Ramal de) Tomar (ampliando também a mesma para pelo menos dois caminhos-de-ferro) fosse uma localização melhor para colocar um aeroporto alternativo a Lisboa. Tendo uma boa centralidade e acesso a vias principais próximas.

    Outra alternativa seria construir um aeroporto ali naquela área do aeródromo de Pias Longas, próximo das Pegadas dos Dinossauros (Bairro, Ourém).
    Aí teria a vantagem de ter de um lado a A1 e do outro a Linha do Norte. A proximidade da linha-do-norte é importante, porque se vier a ser muito utilizado, não é de descartar a hipótese de terem de transportar o combustível por via férrea… que não estou a ver construirem um oleoduto de Sines até ali.
    Existiram boatos desta possibilidade na comunicação social local, mas aparentemente os políticos locais parecem acreditar que não se irá concretizar.
    Aí só teriam é de remover as torres eólicas para que fosse viável tal… além de todos os trabalhos no terreno. Contudo aquela área é um pouco ventosa (daí estarem lá as eólicas) pelo que é de pensar se seria realmente viável aterrarem ali aeronaves de grande porte… e só não digo que seja inviável porque existia lá uma infra-estrutura para aeronaves e com as eólicas mudaram-na 1,5 Km para o lado, pelo que acredito que pelo menos seja uma zona a estudar.
    Com a proximidade também de Fátima é de especular que seja viável.

    Ainda existe uma alternativa que é o aeródromo de Fátima-Giesteira, mesmo ali ao lado da A1 próximo de Fátima, actualmente desactivado… mas as condições estão criadas, seria necessário aumentar a pista para receber aviões grandes e alargar toda aquela área, mas a mesma existe, caso exista vontade política. A comunidade religiosa de Fátima é que é capaz de se mexer para não deixar implementar ali o aeroporto dê lá por onde der, porque o barulho dos aviões poderá de facto afugentar a clientela religiosa. Outra desvantagem é estar longe da via férrea, teriam de construir um ramal, se quiserem ligar à linha-do-norte (à volta de 16 Km).
    Aparentemente quem é responsável pelas certificações não certificou aquele por estar ali ao lado da A1… deviam ter receio que os aviões aterrassem na auto-estrada ahahah

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.