‘Tejo a Copo 2019’ junta vinhos e gastronomia em Santarém

No ‘Tejo a Copo 2019’ vão participar cerca de vinte produtores e dois restaurantes.

0 75

Estamos a menos de um mês do ‘Tejo a Copo 2019’, evento organizado pela Comissão Vitivinícola Regional do Tejo para promover os Vinhos do Tejo no seu habitat, a gastronomia da região e também o seu património territorial e cultural. Esta é a segunda edição – a primeira foi em 2017 – e acontece no Sábado, dia 9 de março, entre as 15h00 e as 21h00, no Convento de São Francisco, em Santarém, a ‘Capital do Gótico’ e o ‘Melhor Destino Gastronómico’, segundo os recentemente anunciados “Óscares do Vinho”. No ‘Tejo a Copo 2019’ vão participar cerca de vinte produtores e dois restaurantes. A entrada é livre e o copo de prova custa €3,00.

Foto: Sábado

Os produtores presentes vêm dos vários cantos da região do Tejo, conseguindo-se assim uma oferta mais alargada, reflectida nos vinhos. Desde os brancos, mais frutados combinados com aromas florais, aos tintos, dotados de maior complexidade e com boa presença de fruta vermelha, passando pelos rosés, os frisantes e espumantes, ‘Tejo a Copo 2019’ junta vinhos e gastronomia em Santarém mas também os licorosos e colheitas tardias.

A variedade envolve, ainda, o clima moderado e, claro, os três tipos de solo: o Bairro, mais indicado para as castas tintas; o Campo, mais propício para as variedades de uvas brancas; e a Charneca, com os seus solos arenosos, mais abrangente no que toca à produção quer de brancos quer de tintos. Às 16h30 vai haver uma prova de vinhos comentada pelo jornalista e crítico Fernando Melo.

A inscrição é gratuita, mas obrigatória e feita no local, por ordem de chegada. A prova versa vinhos feitos com Fernão Pires, a casta mais expressiva do Tejo. Representa, actualmente, 30% do encepamento total, ou seja, 3.750 num total de 12.500 hectares de vinha nesta região vitivinícola.

A finalidade deste momento alto do ‘Tejo a Copo’ é dar a conhecer o seu potencial, quer em monocastas, quer em blends, com destaque para o equilíbrio e elegância que lhe estão associados. Vão estar reunidas as condições para, com tempo, explorar a região e as suas adegas, uma vez que o enoturismo tem ganho cada vez mais adeptos, quer por parte de enófilos, quer de curiosos.

A organização convida a conhecer a sua História ao vivo através da visita aos monumentos de Santarém, a “Capital do Gótico”, e de Tomar, a “Cidade dos Templários”, as principais portas de entrada deste roteiro carregado de cultura e lazer. Integre as salinas de Rio Maior neste percurso, bem como a Golegã, a “Capital do Cavalo”.

 

Todas as quintas-feiras, receba uma seleção das nossas notícias no seu e-mail. Inscreva-se na nossa newsletter, é gratuita!
Pode cancelar a sua subscrição a qualquer momento
Pode Ser do seu interesse

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.