INEM: Tempo médio para acionamento do primeiro meio é de 3 minutos

Os números são apresentados pelo INEM.

0 181

Entre os meses de janeiro e agosto de 2022, o INEM registou um total de 931.685 acionamentos com um tempo médio de resposta para acionamento do primeiro meio de apenas 3 minutos. De notar que o(s) meio(s) de emergência só podem ser acionados depois de realizada a triagem clínica dos pedidos recebidos através do Número Europeu de Emergência – 112.

Segundo o INEM e em detalhe os primeiros oito meses de 2022, conclui-se que:

  • O INEM acionou o primeiro meio de emergência em menos de 30 minutos (até 00h29m59s) em 99,859% das situações com acionamento de meios (P1+P3), sendo que para 90% destas situações o meio foi acionado até 5 minutos. Discriminando entre P3 e P1, verificamos que os acionamentos feitos em menos de 30 minutos foram de 99,851% para os P3 e 99,936% para os P1. Tal significa que, para os P1, o tempo para acionamento foi igual ou superior a 30 minutos em 0,064% das situações.
  • Se considerarmos os acionamentos entre 30 minutos e uma hora (entre 00h30m00s e 00h59m59s), os acionamentos foram feitos em 0,016% das situações. Discriminando entre P3 e P1, os acionamentos foram de 0,012% para os P3 e de 0,047% para os P1.
  • Os acionamentos feitos em mais de uma hora (01h00m00s ou mais) foram 0,125%. Discriminando entre P3 e P1, os acionamentos foram de 0,136% para os P3 e de 0,017% para os P1.Uma das funções primordiais do Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM é priorizar as ocorrências, garantindo que os meios de emergência são enviados o mais rapidamente possível para as situações identificadas como P1 (emergentes). Recorde-se que o sistema de triagem médica em funcionamento nos CODU prioriza as ocorrências da seguinte forma:Prioridade 1: Ocorrência que comporta risco imediato de vida e origina o envio de meio(s) de emergência médica de nível Suporte Avançado de Vida e/ou Suporte Imediato de Vida (considera vítima emergente/crítica que carece de intervenção imediata).
    Prioridade 3: Ocorrência que origina o envio de meio(s) de emergência médica de nível Suporte Básico de Vida (considera vítima urgente que carece de intervenção dentro de uma janela temporal ligeiramente superior à anterior).
    Prioridade 5: As chamadas em que a triagem não determine o envio de meio(s) de emergência nem a transferência da chamada para o CIAV ou para o Centro de Apoio Psicológico e Intervenção em Crise, são reencaminhadas para o SNS24.
    Outras prioridades: Informação às autoridades, ao Comando Distrital de Operações de Socorro CDOS, conferência com CIAV (Centro de Informações Antivenenos) ou Centro de Apoio Psicológico e Intervenção em Crise (CAPIC).

    Anualmente, o INEM e os seus parceiros no Sistema Integrado de Emergência Médica, Bombeiros e Cruz Vermelha Portuguesa, dão resposta a mais de 1.3 milhões de pedidos de ajuda. Os últimos dados apurados dão conta de uma taxa de satisfação dos utentes superior a 95%, a que se junta um número de reclamações residual (200 reclamações recebidas em 2021) face à atividade desenvolvida (mais de 1 milhão e 370 mil chamadas de emergência atendidas e mais de 1 milhão de meios acionados), reflexo da dedicação, da competência e do empenho de todos os operacionais do INEM e dos parceiros no trabalho diário de prestação de cuidados de emergência médica pré-hospitalares a todos os cidadãos que deles necessitam.

     

Todas as quintas-feiras, receba uma seleção das nossas notícias no seu e-mail. Inscreva-se na nossa newsletter, é gratuita!
Pode cancelar a sua subscrição a qualquer momento

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

google.com, pub-9853338638165848, DIRECT, f08c47fec0942fa0