Já começou a ser julgado o engenheiro electrotécnico acusado da prática de 16 crimes de incêndio florestal

Disse estar arrependido e tem acompanhamento psicológico e psiquiátrico.

0 403

Já começou a ser julgado o engenheiro electrotécnico de 39 anos, acusado de pratica 16 crimes de incêndio florestal, um dos quais agravados, que ocorreram entre 2017 e 2020 na região de Castelo Branco, de onde é natural o presumível incendiário.

Na primeira sessão de julgamento, que se realizou no Tribunal Judicial da Comarca de Castelo Branco, o arguido assumiu a autoria dos 16 crimes de incêndio florestal e a intenção de prestar declarações.

Residente no concelho da Sertã, no distrito de Castelo Branco, encontra-se em prisão preventiva desde julho de 2021, o arguido manifestou arrependimento pelos atos que praticou: “Estou arrependido pelos danos materiais e pessoais que fiz”. Adiantou que, na altura em que foi preso, sentia “inquietude, ansiedade, insónias e vontade de ver fumo”.

O engenheiro electrotécnico disse que estes sintomas melhoraram em novembro 2021, quando foi ao psiquiatra, já no Estabelecimento Prisional de Castelo Branco, onde estava detido a aguardar julgamento. O advogado de defesa solicitou uma perícia médica ao arguido.

O Tribunal, considerou o teor das declarações do engenheiro eletrotécnico e, uma vez que o mesmo tem acompanhamento psicológico e psiquiátrico e está a receber terapêutica, solicitou que até à próxima sessão de julgamento sejam entregues os elementos clínicos relativos ao arguido, desde que este está a receber assistência clínica no Estabelecimento Prisional de Castelo Branco.

A próxima sessão do julgamento está marcada para o dia 05 de maio, com início às 09h15.

Todas as quintas-feiras, receba uma seleção das nossas notícias no seu e-mail. Inscreva-se na nossa newsletter, é gratuita!
Pode cancelar a sua subscrição a qualquer momento

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.