Parabéns União de Tomar! E agora?

Por: Alexandre Horta

0 1.526
Widget dentro do artigo  
 
   
Advertisements
Advertisements

No passado dia 21 de maio, Tomar viveu mais um êxito desportivo de um clube cidade. A vitória do União de Tomar no campeonato distrital primeira divisão e o consequente ingresso nos campeonatos nacionais.

Vinte cinco após a última subida, o União conseguiu repetir esse feito e enriquecer a sua história já centenária. Por isto, parabéns aos jogadores, à equipa técnica liderada por Marco Marques e a toda estrutura diretiva do clube.

Há algumas décadas atrás, este acontecimento não teria a mesma repercussão, eram tempos em que o União militava nos escalões mais elevados do futebol português. Infelizmente, esses tempos longínquos, nada têm a ver com a realidade atual e o grande desafio será a manutenção e estabilização da equipa nos campeonatos nacionais.

As exigências, não só desportivas, mas também estruturais, serão importantes obstáculos que equipa técnica, direção e entidades locais, públicas e privadas, terão que suplantar em conjunto.

Começando pelas estruturais, mais concretamente pelo estádio municipal, as carências são públicas e notórias: balneários em péssimo estado, o relvado artificial a necessitar de melhoramentos, condições de conforto e segurança da bancada pouco aceitáveis e outras estruturas de apoio a necessitar de obras e melhoramentos. Estes são alguns exemplos de problemas visíveis ao nível de um equipamento que é responsabilidade do Município de Tomar.

O grande desafio para os responsáveis da autarquia será precisamente a realização das intervenções necessárias em tempo útil. Algumas delas já se arrastam há vários anos sem que tenha havido, até agora, grande vontade na sua resolução.

É certo que algumas situações foram herdadas de executivos anteriores, mas, com dez anos de funções, este executivo tinha obrigação de já ter resolvido alguns dos problemas de um equipamento que, diariamente, é frequentado por várias centenas de atletas, de diversas faixas etárias.

Na vertente desportiva o cenário também não será de facilidade para a direção do União Tomar. Um nível superior, maior grau de exigência competitiva, mais investimento a ser feito, mais recursos necessários. O cumprimento desta cadeia de acontecimentos será a chave para a estabilização clube na categoria agora atingida.

Os recursos financeiros são escassos, a ajuda pública, por mais voluntariosa que seja nunca será suficiente e, infelizmente, no tecido empresarial do concelho dificilmente se vislumbra uma grande empresa que possa patrocinar convenientemente.

Apesar de tempos a tempos aparecerem na comunicação social local, notícias a anunciarem a vinda de investidores para Tomar, desde indianos a chineses e outros, o que é certo é que nos últimos anos muito pouco foi feito para verdadeiramente cativar esses investidores. Espelho disso é o fraco desenvolvimento de atividade económica da ex Zona Industrial de Tomar, onde a mudança de nome para Parque Empresarial de Tomar e a colocação de alguma sinalética não serão, com certeza, suficientes para o seu desenvolvimento.

Portanto, agora, após os merecidos festejos pelo importante título alcançado, são enormes os desafios que se colocam ao União de Tomar, para que se possa aproximar, cada vez mais, daquilo que representou para Tomar no passado. Coragem!

Todas as quintas-feiras, receba uma seleção das nossas notícias no seu e-mail. Inscreva-se na nossa newsletter, é gratuita!
Pode cancelar a sua subscrição a qualquer momento

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.