Politécnico de Tomar esclarece sobre surto de Covid

0 342

O Instituto Politécnico de Tomar enviou hoje à comunicação social, um esclarecimento sobre os casos de Covid 19 registados neste estabelecimento de ensino e as medidas que foram tomadas.

“Tendo chegado ao conhecimento da Presidência do IPT a ocorrência de comportamentos de risco, fora do Campus do IPT, nos dias 7 e 8 de dezembro, por um número significativo de estudantes de vários cursos do IPT de Tomar, na sequência dos quais terão sido detetados 3 casos positivos de infeção com o vírus da doença do COVID-19, um dos quais um aluno alojado na residência de estudantes do Campus do IPT  e tendo por finalidade evitar a disseminação do vírus entre a comunidade académica dentro do Campus foi determinado que todos os estudantes que no dia 10 de dezembro, se encontrassem nas residências (porque é onde existem os contactos de permanência e proximidade de maior risco entre estudantes e onde também é mais fácil acontecerem situações de contactos desprotegidos, sem máscara), realizassem testes antigénio para a COVID-19.

Na sequência desta determinação foram realizados testes a cerca de 120 estudantes, tendo todos apresentado resultado negativo.

Podemos confirmar ter tido conhecimento oficial, até ao final do dia de ontem, de se ter verificado a existência de 2 casos positivos de docentes do IPT e 2 colaboradores do snack-bar do IPT, e de 3 casos positivos de estudantes do IPT e 5 casos de isolamento preventivo por contactos de risco com pessoas infetadas, também estudantes do IPT.

Estas e outras situações que nos têm sido reportadas estão a ser acompanhadas diretamente pela autoridade de saúde de Tomar, no sentido de proceder às testagens entre a população académica do IPT e às determinações de isolamento que na sequência das mesmas se justifiquem.

Quanto à manutenção das aulas presenciais tem sido e continua a ser entendimento da Presidência que não existe qualquer motivo para as suspender, pois é nosso compromisso

o cumprimento das regras de proteção pelo que não se justifica mais que a manutenção das medidas de proteção desde sempre recomendadas nos termos do despacho de contingência em vigor no IPT (uso de máscara, distanciamento físico adequado e desinfeção regular das mãos), e se mantenha autovigilância em relação a sintomas típicos de infeção com COVID-19 (febre, tosse ou dificuldade de respiração) e que caso surja alguns desses sintomas contactem de imediato a linha da Saúde 24″.

 

 

Todas as quintas-feiras, receba uma seleção das nossas notícias no seu e-mail. Inscreva-se na nossa newsletter, é gratuita!
Pode cancelar a sua subscrição a qualquer momento

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.