Bruno Góis, cabeça de lista do BE pelo distrito de Santarém, visitou as Oficinas da CP, no Entroncamento

0 372

Bruno Góis CP1

A candidatura bloquista reuniu com a direção executiva do parque oficinal, na passada quinta-feira, com objetivo de colocar a ferrovia no centro do debate político, tanto pela sua importância económica para a região do Ribatejo, bem como pela necessidade urgente de investimento público.

Oficinas da CP, no Entroncamento, emprega 400 trabalhadores

Nesta valência localizada no Entroncamento estão empregados cerca de 400 trabalhadores e está estabelecida uma ligação às escolas profissionais e superiores. Porém a empresa pública tem dificuldade em atrair mais quadros qualificados, devido às baixas remunerações e às poucas perspetivas de progressão na carreira profissional. A isto somam-se as poucas capacidades do território para fixar as populações jovens, nomeadamente devido à falta de habitação a preços comportáveis. Também o edificado das oficinas precisa de investimento. É preciso não só impedir a infiltração de chuva e melhorar o isolamento térmico, como também é necessário atualizar os espaços de produção, dotando-o das condições para atribuir às oficinas do Entroncamento um papel central na modernização ferroviária de que o país precisa, seja para fortalecer o tecido económico e industrial nacional, seja para descarbonizar as formas de mobilidade e responder à emergência climática.

De acordo com Bruno Góis “É urgente investir em emprego qualificado no distrito. Os eleitos do Bloco de Esquerda vão defender pela instalação de um parque tecnológico da CP no Entroncamento, ampliando e modernizando as valências existentes. Esse investimento deve ser feito em instalações, em equipamentos e no aumentar do salário dos trabalhadores das oficinas da CP”.

Todas as quintas-feiras, receba uma seleção das nossas notícias no seu e-mail. Inscreva-se na nossa newsletter, é gratuita!
Pode cancelar a sua subscrição a qualquer momento

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.