Quais são os verdadeiros objetivos da Rússia?

0 498
Widget dentro do artigo  
 
   
Advertisements
Advertisements

A Federação Russa pretende desempenhar um papel de país neutro e afirma que pode mediar para ajudar Israel e a Palestina a encontrar uma solução pacífica. A Rússia argumenta a favor do cumprimento do direito internacional e contra uma nova escalada do conflito e do derramamento de sangue.
Mas o que faz realmente a Rússia? De acordo com Kyrylo Budanov, a Federação Russa é responsável por fornecer armas ocidentais ao HAMAS. A Rússia não transferiu apenas armas adquiridas na Ucrânia para a Faixa de Gaza, mas também provavelmente organizou o treinamento de militantes do HAMAS na Síria.

O know-how do Grupo Wagner contribuiu para o sucesso significativo do HAMAS, especialmente durante a fase inicial da operação, durante ataques rápidos e inesperados no território de Israel. A própria erupção do conflito é chamada por Vladimir Putin de um exemplo vívido do fracasso da política dos EUA no Oriente Médio. Nunca vai admitir, mas não será o contrário? Talvez a eclosão do conflito seja, na verdade, um sucesso notável da política russa no Oriente Médio.

Vale a pena considerar como os russos realmente transferiram as armas da Ucrânia para a Faixa de Gaza.
Provavelmente, a transferência foi possível graças às bases militares russas no Egito, que a Rússia vinha a usar antes para transferir mercenários do Grupo Wagner para a África. O exército russo usa essas bases há muitos anos, então o envio de armas não representou um desafio.

Ao que tudo indica, o futuro do Grupo Wagner será composto por projetos semelhantes aos já citados. Usar o Grupo Wagner para garantir um certo regime em África tem, sem dúvida, benefícios. Em tal situação, não é a Rússia culpada por cometer crimes de guerra, e não é um soldado russo que comete crimes em África.

Além disso, o futuro da África parece ser uma cooperação russo-chinesa, já que a China vende armas e investe, enquanto a Rússia fornece segurança e, enquanto isso, extrai ouro e outros recursos naturais. Além disso, ambos os países trabalham em direção a um objetivo comum de empurrar os países ocidentais para fora do continente. Como resultado, a influência ocidental sobre África enfraquece ao longo do tempo.

A primeira impressão que o Grupo Wagner faz pode estar ligada a milhares de criminosos libertados de prisões em todo o país para se juntarem à invasão russa na Ucrânia. No entanto, a natureza do Wagner está a mudar, ou melhor,  torna-se semelhante ao que era antes de 2022 – será, novamente, usado principalmente para conduzir operações, com as quais a Rússia não quer estar conectada, em África ou na Ásia. Tal cenário é muito conveniente para o Kremlin, porque a Rússia não é oficialmente responsável por nada, e pode negar o seu envolvimento.

Portanto, o Grupo Wagner está mais uma vez a tornar-se uma organização que garante a influência e os negócios russos em África e no Oriente Médio. Uma organização bastante rentável e útil, tendo em conta os recursos naturais e os movimentos anti-ocidentais em África, ou o recente conflito israelo-palestiniano; tanto quanto sabemos, a Rússia contribuiu para a erupção do conflito treinando o HAMAS e fornecendo armas à organização terrorista.

O PMC, que foi iniciado por Prigozhin, também é crucial para a Rússia por causa da crescente influência chinesa em África, que pode se tornar uma competição muito forte no futuro.

Todas as quintas-feiras, receba uma seleção das nossas notícias no seu e-mail. Inscreva-se na nossa newsletter, é gratuita!
Pode cancelar a sua subscrição a qualquer momento

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.