Vila Nova da Barquinha é concelho há 185 anos

Conheça aqui o programa comemorativo do aniversário

0 328

aniversario do concelho 2021 web

No dia 6 de novembro de 1836, a rainha D. Maria II assinou um decreto que criava o concelho de Vila Nova da Barquinha, composto pelos extintos concelhos de Atalaia, Paio de Pele e Tancos.
Para assinalar a data, a Câmara Municipal vai promove um programa comemorativo:

09:00 | Praça da República
Hastear da Bandeira

09:30 | Arquivo Municipal
Cerimónia de homenagem a António Luís Roldão

12:00 | Restaurantes aderentes
Início da mostra gastronómica «À mesa com azeite»

15:00 | Praça da República
Dança: ETRIX/ ADMU CIR (VOLver)

17:00 | Praça da República

Banda de Música dos Bombeiros da Barquinha (VOLver)

17:30 | Restaurante Almourol
Lanche ajantarado “5 Conservas / 5 Vinhos”

Lançamento da Fataça estufada
Reservas: 249720100

18:00 | Igreja Matriz VN Barquinha
Grupo Coral de Tancos (VOLver)

19:30 | Espaço Memória Payo de Pelle – Praia do Ribatejo
Inauguração da exposição «A primeira guerra mundial: a história por contar» (VOLver)

Vila Nova da Barquinha

Já lhe chamaram Princesa do Tejo. Banhado por três rios, Vila Nova da Barquinha é um concelho dono de uma beleza natural ímpar. As páginas da sua história escrevem-se por entre lendas e mistérios templários, imagináveis perante o imponente cenário do Castelo de Almourol, erguido nas águas do rio, Monumento Nacional desde 1910 e um dos 21 finalistas da eleição das 7 Maravilhas, em 2007. Fortaleza reconstruída por Gualdim Pais, mestre da Ordem dos Templários, em 1171, é um dos exemplos mais representativos da arquitetura militar dos primórdios do reino. Os segredos templários associados a este local mítico podem ser decifrados no Centro de Interpretação Templário, único do género na Europa e no Mundo.

Na Atalaia pode ser apreciado um dos mais belos exemplares da arquitetura renascentista em Portugal, a Igreja Matriz, classificada Monumento Nacional em 1926.

A não perder o Parque de Escultura Contemporânea, com o melhor da escultura contemporânea portuguesa, da década de 60 até à atualidade, ao longo de 7 hectares à beira do Tejo, um parque que conquistou o Prémio Nacional de Arquitetura Paisagista em 2007. Aqui pode apreciar 11 peças de arte de grandes dimensões de autores como Joana Vasconcelos ou Rui Chafes (Prémio Pessoa 2015).

Além do património e da arte, descubra um dos mais recentes centros de ciência do nosso país, o Centro Integrado de Educação e Ciências (CIEC). Atração ideal para todas as idades, este espaço tem mais de 40 módulos interativos inspirados no contexto local.

Num concelho onde a gastronomia baseada nos sabores do rio como o sável, a lampreia e as enguias já é uma marca, perca-se nas ruas das suas vilas e aldeias e aprecie as obras de arte pública de artistas como Vhils ou Manuel João Vieira. São 11 as intervenções executadas no âmbito do ARTEJO, um projeto artístico com a comunidade, promovido em parceria com a Fundação EDP.

Fonte:  Turismo do Centro

 

 

 

 

Todas as quintas-feiras, receba uma seleção das nossas notícias no seu e-mail. Inscreva-se na nossa newsletter, é gratuita!
Pode cancelar a sua subscrição a qualquer momento
Pode Ser do seu interesse

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.