Tejo Ambiente vai aumentar o preço da água em mais 4,2%

PCP de Tomar já tomou posição.

0 575
Widget dentro do artigo  
 
   
Advertisements
Advertisements

Segundo a Comissão Concelhia do PCP, já tinha existido um brutal aumento no tarifário da Tejo Ambiente, em agosto de 2022.
“Na primeira reunião camarária de 2023, o executivo tomarense teve como melhor oferta uma “prenda envenenada” aprovando um novo aumento global de 6,7% no tarifário da Tejo Ambiente (abastecimento de água, saneamento de águas residuais e recolha de resíduos)”, adianta o PCP de Tomar.

Nessa altura, esta força partidária alertou para o facto que uma fatura da Tejo Ambiente, que em julho de 2022, tinha um valor de 20 euros passava a partir do mês de janeiro de 2023 a ter um valor de 26,2 euros. Apontam para o aumento registado na fatura da Tejo Ambiente, nesses últimos cinco meses, era de 31%.

Entretanto hoje, quase no fim do ano de 2023,  e na penúltima reunião do executivo o Partido Socialista, foi aprovado
novamente um aumento superior a 4,2% no tarifário, com a abstenção do PSD. Apesar do valor da inflação previsto para 2024 ser de 2,9% pelo governo e de 3,3% pela OCDE, refere o PCP de Tomar em comunicado.

Alerta ainda para o momento em que os trabalhadores vivem de forma tão penosa, com um salário muito curto para o mês tão grande que têm, que fazem sacrifícios brutais para conseguirem aguentar a sua casa, tendo em conta o aumento das taxas de juro, e acusa os eleitos socialistas locais de optarem por autorizar novamente o aumento dos preços dos serviços da Tejo Ambiente, criando ainda mais dificuldades à vida dos tomarenses.

A Comissão Concelhia do PCP exorta novamente a população a manifestar o seu verdadeiro descontentamento por a mais este aumento, exigindo que esta decisão seja revertida.

Todas as quintas-feiras, receba uma seleção das nossas notícias no seu e-mail. Inscreva-se na nossa newsletter, é gratuita!
Pode cancelar a sua subscrição a qualquer momento

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.