Do alto de Ourém, de onde se avista Sicó, Alvaiázere, Lousã e a Serra da Estrela

Por: Mário Beja Santos

0 607

1 1Entre as mais belas vilas de Portugal, Ourém goza de um soberbo paço ducal, em meados do século XV, o 4.º Conde de Ourém, Marquês de Valença e Duque de Bragança aqui mandou erguer uma residência fortificada, um misto de castelo do Norte de África e de palácio toscano. Escolheu bem o local, bem perto do castelo que pertenceu aos Árabes, está num topo de escarpas e o que daqui se avista é soberbo numa rotação panorâmica temos Sicó e lá ao fundo as penhas da Serra da Estrela. Como se escreve em “As mais belas vilas e aldeias de Portugal”, Editorial Verbo, 1984, “Nos cumes do alcantilado monte elevam-se o Castelo e os Paços da Ourém Velha. As muralhas protegem também a semicircunferência do povoado, que foi pelo menos romano, suevo, visigodo e árabe antes de ser definitivamente cristão”. Pois bem, o espetacular Paço dos Condes é o principal núcleo monumental de Ourém Velha.

5 1

6 1Volta-se a citar esta obra da Editorial Verbo: “Construído no século XV, impressiona pela majestosa força, imponente conjunto de torreões, aligeirados e até tornados esbeltos pela cimalha em cachorrada de tijolo formando arcaturas ogivais. Janelas também rebatadas em ogiva abrem para o espaço interior e um friso de tijoleiras salientes é mais um elemento deste original e entre nós raro decorativismo”.

78

9

E continuando a citação: “Como os gigantescos degraus, as torres sobem a crista do monte que culmina no arruinado castelo, toda uma afirmação de grandeza e poder devida em grande parte a D. Afonso, Conde de Ourém e Marquês de Valença, primogénito do 1.º Duque de Bragança e grande impulsionador de Ourém. O seu túmulo, belíssima peça escultórica, encontra-se na cripta da Capela-Mor da Colegiada, na zona felizmente poupada pelo terramoto de 1755, que arrasou praticamente a igreja e grande parte da vila. Escapou à brutalidade do sismo a arca tumular, mas não à dos franceses em 1810, que espalharam as ossadas do neto de D. João I e de Nuno Álvares Pereira e roubaram e queimaram tudo quanto puderam em Ourém”.

9 11011Ourém Velha tem soberbos atrativos turísticos, a despeito de muita casa arruinada, há belas habitações, há muito restauro, goza de uma importante pousada, tem alojamento local e um posicionamento estratégico que permite ao turista ir visitar as pegadas dos dinossauros, as colinas e os vales banhados por ribeiros e pelo rio Nabão, o Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, o Parque do Agroal e Fátima.

12

13A chamada vila medieval merece uma visita demorada, veja-se aqui a Porta de Santarém e ao lado a linda Capela de Nossa Senhora da Conceição completamente vestida de azulejos seiscentistas.

1416

17

Mas há muito mais a visitar na vila medieval de Ourém, casas brasonadas, a antiga cadeia, o antigo Hospital da Misericórdia, a rua da antiga judiaria, a Calçada da Carapita, a Calçada da Mulher Morta. O Posto de Turismo deve ser visitado, tem habitualmente belas exposições e boa bibliografia oureense para os interessados.19O viandante tinha imensas saudades de aqui regressar, gosta de usufruir do panorama, de se reencontrar com este local grandioso do tempo da Reconquista e de contemplar o Paço dos Condes de Ourém, que conforme as imagens ilustram está numa fase de beneficiação e restauro. Aconteceu, mesmo em jeito de despedida, no cimo da escadaria apanhar esta atmosfera verdejante e aqueles seres irreais ao fundo, são coisas da imaginação que metem fadas, duendes e histórias de mouras encantadas… Histórias que fazem parte de Ourém, diga-se em abono da verdade.

Por: Mário Beja Santos

 

Todas as quintas-feiras, receba uma seleção das nossas notícias no seu e-mail. Inscreva-se na nossa newsletter, é gratuita!
Pode cancelar a sua subscrição a qualquer momento

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.