Enfermeira – Adjunta do Hospital de Tomar distinguida com o Prémio de Investigação Mariana Diniz Sousa

0 958
Widget dentro do artigo  
 
   
Advertisements
Advertisements
327725131 688570396286206 2892647765607756235 n
Ana Ramos, Enfermeira – Adjunta da Unidade de Tomar do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), foi distinguida com o Prémio de Investigação Mariana Diniz Sousa em Enfermagem da Seção Regional do Sul da Ordem dos Enfermeiros.
A atribuição deste prémio surge no âmbito da conclusão da sua tese de doutoramento em enfermagem, sob o título: “O autocuidado na pessoa idosa com dependência funcional: necessidade de cuidados essenciais de longa duração”.
O Prémio de Investigação em Enfermagem Mariana Diniz de Sousa pretende, não só fazer a promoção da investigação em Enfermagem, mas também dar visibilidade aos trabalhos de extrema qualidade que vão acontecendo um pouco por todo o país. Tem também como objetivo de fazer crescer o conhecimento da enfermagem de forma a contribuir para uma prática baseada na evidência, melhorar os cuidados e otimizar os resultados em saúde.
A atribuição deste prémio na edição de 2022 veio assim reconhecer o trabalho desenvolvido ao longo de mais de quatro anos pela enfermeira-adjunta do CHMT, Ana Ramos, como o melhor trabalho de investigação do ano. O tema escolhido é bastante pertinente, uma vez que o envelhecimento progressivo da população, o aumento do número de doenças crónicas e o número gradual de situações de dependência no autocuidado, conduziram a necessidade da criação de uma resposta profissional estruturada – os cuidados de longa duração.
328037904 599092932053436 1209276238054886638 n
Diversas entidades e estudos anteriores à tese de doutoramento da enfermeira Ana Ramos sugerem o estudo do comportamento de autocuidado como um indicador de previsão de necessidades de cuidados, para a reorganização dos cuidados de saúde, em geral e de enfermagem, em particular. Daí a importância e pertinência deste estudo agora premiado.
O estudo teve como objetivos: avaliar a dependência na capacidade para o autocuidado das pessoas com 65 ou mais anos, utilizadoras das Unidades de Internamento, da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, em Portugal Continental; identificar os determinantes que influenciam a capacidade para o autocuidado e conhecer as necessidades de cuidados essenciais de enfermagem e de longa duração.
Fonte: CHMT
Todas as quintas-feiras, receba uma seleção das nossas notícias no seu e-mail. Inscreva-se na nossa newsletter, é gratuita!
Pode cancelar a sua subscrição a qualquer momento

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.