Centro Hospitalar do Médio Tejo anuncia investimentos em hospitais da região

Os hospitais de Abrantes, Tomar e Torres Novas, do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), vão ser reforçados com um conjunto de investimentos, tendo sido apresentado um aparelho de exames TAC orçado em cerca de 250 mil euros.

0 87

“O aparelho para a realização de Tomografia Axial Computorizada (TAC) já está instalado na unidade hospitalar de Tomar, tendo hoje sido apresentado aos autarcas, representando um reforço importante da capacidade de diagnóstico no CHMT”, disse o presidente do Conselho de Administração (CA), Carlos Andrade Costa, para quem a decisão “já deveria ter sido tomada há muitos anos atrás”.

Aparelho de TAC a instalar no Hospital de Tomar

Segundo o administrador daquele centro hospitalar, no distrito de Santarém, “é fundamental que o CHMT tenha meios próprios para a realização de exames de Tomografia Axial Computorizada”, em serviço que, até hoje, era apenas prestado por um aparelho TAC concessionado e instalado no hospital de Abrantes, tendo acrescentado que o aparelho para a TAC entrará em funcionamento “até ao final de maio”, depois das “parametrizações do equipamento e a formação aos profissionais” que vão operar diretamente este novo equipamento.

Este aparelho “de topo”, a par de um conjunto de adaptações em salas contíguas com a criação de uma sala de recobro, implicou um investimento na ordem dos 250 mil euros, e “vem na sequência de outros já feitos pelo CHMT, nomeadamente no bloco operatório de Tomar, onde foram entregues “equipamentos num valor superior a cem mil euros nos últimos dois anos, nomeadamente em ventiladores e estações de anestesia”, observou o gestor, que referiu existirem mais investimentos em curso no CHMT.

“Dentro de três semanas vamos instalar no Serviço de Imagiologia de Torres Novas um novo mamógrafo, um investimento na ordem dos 180 mil euros, para além de estarmos a incrementar um novo ‘software’ com upgrade do sistema de digitalização”, ainda para o Serviço de Imagiologia, “que vai facilitar o acesso dos médicos hospitalares e médicos de família à visualização de exames de diagnóstico”, afirmou.

Ainda em Torres Novas, continuou Carlos Andrade, “até ao final de 2018 vai ser criada uma ‘sala limpa’, onde funcionará a câmara de fluxo laminar, equipamento que permite a preparação da medicação a ser distribuída aos doentes com cancro”, um investimento que estimou em cerca de 120 mil euros.

Na unidade hospitalar de Abrantes, por sua vez, “vão ser renovados, até ao verão, equipamentos na Unidade de Cuidados Intensivos ao nível de monitores e ventiladores”, um investimento na ordem dos 130 mil euros, para além de um investimento na ordem dos 700 mil euros, até 2019, ainda em Abrantes, na aquisição de um aparelho TAC e um outro de ressonância magnética.

Até 2019, o CHMT tem ainda investimentos programados de cerca de 6,5 ME, um valor que decorre da obra de ampliação da Urgência Médico-cirúrgica, na Unidade de Abrantes (1,5 ME), e a aprovação de candidatura de três projetos, um para cada Unidade Hospitalar, ao POSEUR – Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos, no valor total de financiamento de cerca de 5 ME.

Segundo defendeu o administrador, os investimentos em curso são “a melhor forma de robustecer o Centro Hospitalar do Médio Tejo, dotando-o de mais e melhores equipamentos, mais modernos e inovadores e capazes de atrair jovens médicos”.

Todas as quintas-feiras, receba uma seleção das nossas notícias no seu e-mail. Inscreva-se na nossa newsletter, é gratuita!
Pode cancelar a sua subscrição a qualquer momento

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.